Vida pessoal X Rotina de síndico: Como conciliar?

É muito comum, que nos dias de hoje cada vez mais pessoas estejam assumindo mais de uma função em suas vidas. Em alguns casos, o síndico também tem que lidar com a vida pessoal e com o seu papel como profissional dentro do condomínio. Mesmo sendo remunerado, existe uma grande carga de responsabilidade na rotina, já que o bem-estar de todos e a manutenção do condomínio dependem dele. 

Com o dia a dia cada vez mais corrido, o síndico pode acabar se envolvendo demais com a rotina do prédio e afetar a sua vida pessoal. Entre tantas atividades, ter tempo para ficar com a família ou se dedicar ao lazer pode se tornar um pouco complicado. Ainda mais quando se trata de casos em que o síndico também reside no condomínio.

Por essa razão, é fundamental buscar o equilíbrio entre a vida pessoal e a rotina de síndico. Pensando nisso, hoje preparamos algumas dicas que podem ajudar muito você a conciliar a vida pessoal e a rotina como síndico ou administrador. 

Organize sua rotina

O excesso de trabalho e o estresse podem ser muito prejudiciais, caso não seja feita a separação entre a vida pessoal e a rotina do síndico. Por esse motivo, vale a pena criar uma rotina, de modo a facilitar os processos. 

Quando não separamos as nossas atividades, ficamos muito cansados. Esse cansaço faz que percamos um pouco da nossa diplomacia, da nossa capacidade de diálogo e de planejamento. Garantir que você tenha um espaço de trabalho, com os horários organizados para receber e responder às demandas, ajuda muito no bom relacionamento com os demais e também no seu autocuidado. 

Um bom caminho para começar a se organizar, é definir em quais horários certas tarefas da gestão do condomínio serão realizadas. Em especial, essa organização permite que você se antecipe e saiba o que deve ser feito em cada momento, favorecendo assim a produtividade. 

Seja filtro, não esponja

Um síndico costuma ser bastante conhecido pela sua habilidade de resolver conflitos. Ainda que essa função seja muito comum no cargo, é preciso estar atento à forma como você encara esses problemas.  Em momentos como esse, ter equilíbrio emocional é um diferencial para não absorver cada situação como algo pessoal. 

No dia a dia, evite manter preocupações externas em mente. Acumuladas, elas só vão gerar estresse para você e sua família. É importante você lembrar que não é sua obrigação solucionar os problemas de outras pessoas, mas sim, buscar formas de auxiliar os condôminos por meio de um diálogo transparente e imparcial. 

Assuntos pessoais e profissionais não se misturam

Muitas vezes nossa vontade de ser uma pessoa exemplar no trabalho e dentro de casa pode até ser grande, mas é preciso ter cuidado para não misturar a vida pessoal e a rotina do síndico. Os momentos compartilhados com a sua família devem ser aproveitados para o seu descanso e interação, e não para resolver problemas de fora. 

Ao mesmo tempo, o trabalho como síndico não pode ser influenciado por amizades internas e exigências familiares. Se puder limitar as conversas e ações aos públicos adequados, você se livra do desgaste excessivo e desfruta de cada momento com mais tranquilidade. 

Imponha limites 

Tanto a parte de gestão, como a execução das tarefas do síndico não se esgotam, mas o relacionamento com pessoas que não tem limites sim. 

Mas o que isso significa? Isso quer dizer que, muitas vezes, os condôminos acaba cometendo certos abusos, como contato com o síndico em horários impróprios para tratar de assuntos superficiais, exigir ações que não competem ao síndico, tratamento desrespeitoso, ofensas, e em alguns casos extremos, agressão física. 

Entretanto, o síndico pode e deve impor limites para tornar seu mandato saudável e sustentável. É importante você entender que, cada um de nós precisa de espaço para ser imperfeito. Ter alguém que oriente o sobre o desenvolvimento de habilidades técnicas, comportamentais e nos faça mergulhar nas coisas que a gente ainda não sabe sobre quem somos é importante. Nesse sentido você pode buscar ajuda em profissionais como mentores, psicólogos, coaches e etc. 

O seu sucesso também depende de pedir ajuda. Ajuda para pensar, para se entender, para saber o porque temos dificuldade de impor certos limites, somente assim você irá evoluir e perceber que colocar alguns limites organiza, e ainda ajuda no trabalho e vida pessoal. 

Aprenda a delegar responsabilidades

Fazer tudo sozinho nem sempre é uma boa ideia. Isso traz uma sobrecarga de trabalho para o síndico, além de baixa participação e contribuição dos condôminos. 

Além de poder contar com o apoio dos conselheiros para debater assuntos relevantes e tomar decisões, o síndico também pode sugerir a formação de comissões de condôminos para auxiliá-lo em diferentes assuntos, como obras, decoração, paisagismo, manutenção de áreas e etc. Contudo, é fundamental acompanhar o andamento dessas tarefas. 

Aproveite seus momentos de lazer

Estabelecer limites entre a vida pessoal e a rotina de síndico requer maturidade profissional e de vida. O síndico precisa aprender a se desligar até mesmo para fazer as ideias fluírem. Relaxar e aproveitar os momentos de folga, sem ficar pensando em problemas do condomínio, significa ampliar a visão para encontrar soluções diferentes das que geralmente temos. 

Como vimos, com um pouco de organização e planejamento, dá para ter mais qualidade de vida sem abrir mão da tarefa de gerir o condomínio. E você? Como tem conciliado a sua vida pessoal e a rotina do síndico? 

Gostou deste conteúdo? Para ler mais artigos como este, continue navegando no nosso blog ou nos siga nas redes sociais

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s